Arquivo | Etiqueta para casamento RSS feed for this section

Bye, bye… Oops! Surpresa!

21 jul

Olá, pessoal!

Bem que tentei voltar pra cá, mas tanta coisa mudou que resolvi migrar pra outro blog!

O endereço é: http://avidasegundonana.blogspot.com/

Espero vocês lá!

Com carinho,

Naná.

Da série: “etiqueta para casamento”: Dez gafes horrorosas que você não deve cometer no seu casamento.

28 jul

Olá…

Como as dicas do “etiquetas” sempre são muito comentadas e tem gente que pede mais, com base em alguns eventos que fui ou que me contaram… Aí vão mais algumas!

Vale lembrar que isso são apenas impressões e sugestões minhas vindas de conversas com amigos e parentes.Você acata se quiser!

Se  você  vai casar, já é bem grandinha pra saber discernir o que é bom e o que é ruim pra você, e não vai ser algo que vc lê na internet que vai te manipular, ok?!

Gafe 1: Maquiagem.

Maquiar-se é uma coisa. Parecer uma palhaça é outra. Nada de batons muito vermelhos nem a bochechinha muito corada, porque senão, ao invés de parecer uma noiva, você parecerá mais uma caricatura de noiva de festa junina, faltando só as pintinhas no rosto.

__________________________________________________________________________

Gafe 2: Cabelo.

Faça no seu cabelo aquilo que ele permite. Nada de ficar inventando demais e achando que “pra tudo no cabelo, o velho laquê é a solução”, porque não é.

Cabelos com laquê (hoje conhecido como spray de cabelo) ficam horrorosos, duros, secos e sem brilho. Eu sou a prova viva disso. Enfiaram uma vez tanto laquê no meu cabelo que gastei quase um vidro de xampu pra tirar aquilo. Foi na 8ª série… Ficou um lixo! Além disso, cabeleireiros ruins podem estragar tudo! Muito cuidado com isso!

Outra coisa: se você tem cabelo curto, não fica tentando fazê-lo parecer longo… Todo mundo sabe que ele é curto, fica falso… Pros longos fica a mesma dica. Se for fazer aqueles penteados que prendem todo o cabelo, faça com alguém que realmente saiba fazer algo de bom gosto e não com alguém que irá deixar você com cara de saída de um casamento dos anos 80.

__________________________________________________________________________

Gafe 3: Vestido.

Se você não tá em forma, conscientize-se disso. Se você é baixinha como eu, se liga. Não é todo vestido de noiva que você pode usar!

Se você não for a Gisele Bündchen nem ter o tipo físico dela, você precisa entender que não é todo vestido de noiva que ficará bom pra você.

Veja meu caso: Eu sou baixinha (não mais que 1,55m). Imagine-me usando um vestido toooooooooooooodo rodado cheio de babados, aqueles bem “bolo de noiva”. Vou ficar parecendo uma integrante da ala das baianas!

Vestidos podem ser lindos… mas tem que ver se ficam lindos em você, ok?!

Talvez o vestido que você viu na revista não fique bem em você, mas com atenção e um pouquinho de sensibilidade você pode ser a noiva mais linda de todos os tempos! Basta saber se vestir e valorizar o que você tem de melhor…

__________________________________________________________________________

Gafe 4: Luvas.

Luvas (sobretudo aquelas que que cobrem o antebraço) podem até ser bonitinhas… Mas… Ah… Que coisa desnecessária! (Já tô até vendo os comentários das defensoras das luvas. Pode criticar à vontade… Sinal de  ainda, mesmo num mundo tão cheio de gente super ocupada, há aqueles que têm tempo suficiente pra defender um par inanimado de luvas!)

Uma noiva que usa aquilo, parece que foi pinçada de algum final de novela dos anos 80. (Salvas raríssimas exceções em que o vestido e a noiva ajudam!)

Fora que é uma burocracia pra tirar aquilo quando vai trocar as alianças… É mãe, sogra, tia Cleide… Todo mundo vem ajudar a tirar. Ainda tem a parte do suor que não deixa a luva sair, fora que a noiva tira aquilo e fica a marca dela no braço… Bem esquisita por sinal!

E outra: luvas + vestido muito rodado = vestido de aluguel barato.

Pode reparar essas maisons mais baratinhas sempre têm expostas o vestido rodado “branco-branquíssimo” com bordados e luvas e que é uma pechincha… Oops! Seria uma pechincha se fosse bonito, mas são beeem conhecidos por serem os modelos mais populares… Cuidado! Como diz minha mãe: “bom gosto não tem nada a ver com ter dinheiro!”.

Fez a festa e o casamento na base da economia?! Ok, mas procure bem… Você conseguirá achar um vestido legal, num preço acessível!

__________________________________________________________________________

Gafe 5: Noivos distraídos.

Independente do sexo, existem pessoas que são extermamente distraídas.

Eu sou uma delas declaradamente. Entretanto, há situações na vida que não dá pra ser distraído, como no trabalho, na escola… E no casamento.

Ok, ambos estão nervosos, estressados, cansados, com fome, já pensando se aquele chalezinho alugado bem baratinho pela internet existe mesmo ou se foi um golpe. Pensando nas contas, nas prestações, se ganharam tudo o que pediram na gafe em forma de listas…

Tudo bem, vocês têm o direito…

Mas pelo amor de Deus, não errem as juras de amor…

Você pagou uma fortuna em cabelo, maquiagem, vestido, convites, filmagem, fotos, dentre tantas outras despesas só pra falar meia dúzia de palavras e colocar uma aliança…

Vai gastar isso tudo pra errar lá na hora???? (E seu tio Gilson ainda ficar rindo e corrigindo?!)

Avise pro seu noivo pra não se distrair também (e não errar), porque acho uma gafe horrível! Parece que a pessoa não tá ali, sabe… Só tá de corpo presente, mas a cabeça tá longe…

Quem é professor sabe do que eu tô falando… Aluno quando não fala coisa com coisa ou quando tenta repetir o que você disse mas não consegue… Pode saber que neeem tava prestando atenção! O mesmo acontece com os noivos… O celebrante vai te soprar o que você tem que dizer e você ainda erra?!

Isso pra mim não soa como emoção, mas como desatenção.

__________________________________________________________________________

Gafe 6: Promessas não cumpridas.

Quando você estiver preparando seu casamento, não fique fazendo propaganda da sua festa, fazendo mil elogios, dizendo o quanto tá saindo tudo caro e o quanto seus bem-casados são finos.

Não faça isso.

“Caro”, “chique”, “festa boa”, festa sem-graça” e “a festa deles não foi nada do que ela disse que ia ser” são conceitos muito relativos. O seu conceito de “festa do século” pode não ser o mesmo dos convidados… Por isso, evite fazer propagandas da sua festa. Afinal, quem faz muita propaganda, pode levar os convidados à decepção e à  frases como: “Cadê o festão que ela disse que ia fazer?” ou “Nossa, a festa caríssima que ela vendeu o carro pra fazer é essa?!”.

E nem vem com esse papo de “eu não ligo pro que os outros falam ou pensam”, porque se no século XXI, você ainda se preocupa em fazer uma cerimônia pra oficializar seu enlace, quer dizer que você se liga sim (e muito) pro que os outros pensam! Se não, casaria só no civil às 4 da tade e alugaria um vestido bonito só pra tirar fotos em um estúdio. Se você se propõe a tudo isso, larga de hipocrisia e assume que você tá doida pra mostrar pras suas primas que já casaram que você casou também!

Voltando ao assunto…

Quando te perguntarem como estão os preparativos, limite-se a falar que estão “bem” e não crie expectativas em ninguém. Afinal, expectativas são incontroláveis (e comentários maldosos também).

__________________________________________________________________________

Gafe 7: Os cumprimentos.

Essa parte é terrível, porque ao convidar tem gente que entrega convite (pra encher a igreja) até pro sobrinho do cunhado da filha da vizinha da sogra do ex-chefe do ex-namorado da prima. Nem sabe quem é e já vai entregando convite e as malditas listas. Cria uma intimidade instantânea em prol da encheção de igreja que chega a ser patética.

Mas o engraçdo é que tem gente que se submete e vai… E na hora dos cumprimentos ou da recepção… Eis que a gafe surge!

Opções de gafe existem aos montes. Enumerarei 3:

Opção 1: A noiva é meio metitinha a besta e, depois de ver que a festa tá cheia de figurantes pra ela estrelar o circo dela plenamente, (é, porque tem casamento que é um verdadeiro teatro, outros, um circo!), nem vai de mesa em mesa cumprimentar os convidados. Passa só na mesa dos miguxos e proibe o marido de sair da área de miguxice. Faz cara de “não te conheço” pra 70% dos convidados e fica na ilusão de quem brilha é ela… (Deixa ela pensar né?! Dia de princesa serve pra aumentar a auto-estima de baranga… E certos casamentos também!)

Opção 2: Ela vai de mesa em mesa com o agora marido, naquela pseudo-educação que mamãe deu, ambos expondo o mesmo discurso em todas as mesas. E é um tal de falar “obrigado”, “ai, que coisa boa” e “fiquei feliz de você ter vindo” na hora errada, um tal de segurar o mesmo sorriso durante a festa toda, um tal de fazer perguntas genéricas pros que eles mal conhecem, mas estão lá… Tudo pra fazerem os educados. O problema é que soa falso. (Muito).

Opção 3: A noiva e noivo vão de mesa em mesa (ou mesmo ficam na porta da igreja) por educação, abraçam a maioria friamente (a maioria são os figurantes de encher igreja), quando não dão os cumprimentos sentados, por alegarem cansaço.

É… Pra você ter pelo menos 1 dia na vida em que mais de 5 pessoas prestaram atenção em você, aqueles convidados tiveram que estar ali… Firmes… Escutando um casamento que, convenhamos é uma coisa muito chata, equiparada à formatura e que só tem sentido para os participantes e parentes muito próximos… Mas eles estiveram ali… Pra você ter a ilusão de que uma porção de gente queria te ver vestida de noiva… Pra você ter a ilusão de que um monte de gente tá sentindo a mesma emoção que você…

Mas não estão!

Estão ali por algum motivo. Ou porque o seu pai é chefe deles, ou porque sua mãe é amiga delas, ou porque seu irmão prometeu que ia ter cerveja de graça, ou porque simplesmente estão no seu Orkut e ia ficar chato na semana seguinte ainda estarem lá nos seus contatos, mesmo sem ter ido à festa.

Apesar de interesses implícitos, todos fingem bem… Finja também… Finja que adorou a presençae trate cada um de maneira única e não como uma massa amorfa e sem nome que só merece um “obrigado por ter vindo”.

Ou então, pare com essa mania feia de convidar quem não se conhece e assuma um casamento menor, porém apenas com os seus amigos e pessoas que amam e torcem por vocês! Garanto que até a festa vai rolar melhor!

__________________________________________________________________________

Gafe 8: Igreja com 400 lugares para um casamento com 20 convidados.

A lógica é bem simples: lugares grandes precisam de muitas pessoas para estarem cheios. Lugares pequenos já com poucas pessoas parecem lotaaaados.

Quer um exemplo prático e em parte hipotético?

Quem consegue encher o Maracanã? O show da Madonna e de outos artistas muito conhecidos, jogos de futebol como o “Fla X Flu”…

Não adianta aquela banda que seu irmão fez com o seus primos marcar um show no Maracanã (hipoteticamente falando) que não vai dar ninguém…

Por mais que seja sonho deles cantar lá, será um fiasco, porque o público não irá encher lá…

O mesmo acontece com um casamento. Por mais que você sonhe em casar em um meeeega templo (seja de qual religião você for) vai ficar muito feio aquele tantinho de gente espalhado em tanto espaço. Vai dar a impressão de que “você convidou… Mas ninguém foi!”.

Faça o casamento num lugar proporcional ao número de pessoas que você vai convidar e sempre considere a hipótese de que não são todas as pessoas que você convidou que irão…

__________________________________________________________________________

Gafe 9: Cortar a gravata, passar o sapato da noiva e outras formas de pedir dinheiro…

A brincadeira de cortar a gravata pra arrecadar dinheiro pra lua-de-mel é engraçadinha… Mas tem que haver intimidade com quem for fazê-la!

Se seu casamento estará repleto de gente que você nem sabe o nome, não fica bem sair coagindo os outros a darem dinheiro pro seu noivo em troca de um pedaço de gravata.

E muitos ainda, pra deixar a situação ainda mais constrangedora, levam o câmera pra ficar filmando de mesa em mesa a abordagem…

Não faça isso! Muita gente pode ter ido sem grana pra festa e ficará constrandida de não dar nada… (E ainda ser alvo de piadinhas por isso por parte dos que abordam).

Recomendo a não fazer isso… É desagradável, causa saias-justas desnecessárias. Você tem que deixar seu convidado à vontade e não constrangê-lo dessa forma…

__________________________________________________________________________

Gafe 10: O buquê

Não fique em um microfone coagindo as pessoas a irem tentar pegar o seu buquê…

Cada um vai se quiser… E há sempre quem vá…

Avise apenas que vai haver o ritual e quem quiser que aproxime-se de você…

O segredo sempre é não coagir ninguém a nada!

Ali é uma festa, não uma sessão de metas e deveres a serem cumpridos… Por isso que eu acho que quanto menor a festa, apenas com os amigos e pessoas próximas, mais animada ela é e mais à vontade ficarão vocês e os convidados. Afinal, a intimidade é maior, certas brincadeiras poderão ser feitas, o que deixará a festa mais alegre e divertida.

Bom, essas são as minhas dicas (todas baseadas em experiências REAIS).

Beijos,

 

Com carinho,

 

Naná.

Etiqueta para casamento: Casou? Não deixe por isso de preservar as amizades!

8 jun

Oi, galera!!!

Ia até postar mais vestidos cafonas coloridos… (Juro! Os que eu ia postar hoje eram ALTAMENTE cafonas!!!).

Mas resolvi desabafar…

Isso mesmo, reportando ao D2 que reporta à Cláudia, “Deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar…”

Não acho ético dar nomes (a não ser o da Tia Cleide!), nem é minha intenção aqui…

Só quero mesmo desabafar com vocês coisas que estou sentindo acerca de relações que tenho com pessoas que se diziam “amigas”. Uma pessoa em especial.

E como tenho tantas pessoas que me apoiam e dão bons conselhos (sim, vocês, leitores),  e creio que a situação que vou relatar deve ser comum a outras pessoas, acho que aqui é um bom lugar para discutirmos a seguinte questão: Afinal, casamento significa “ignorar os antigos amigos”?

Ando me sentindo ignorada…

Ok, quando a gente fica com um compromisso mais sério, gente demais atrapalha mesmo… Afinal, muitos dos “amigos” (e “amigas”) nossos querem apenas ver (e torcer) pro fim do relacionamento… Rola, muitas das vezes, aquela sensação de posse, de pertencimento… E não aceitam mesmo, de maneira alguma, que aquela pessoa namore. Quem sofre é o namorado/namorada que fica no papel de “usurpador(a)” daquela(e) amiga(o).

Mas a questão que quero me focar nem é essa. Não estamos cercados apenas de pessoas egoístas, que querem nosso mal ou que nos invejam… E eu faço parte desse grupo! Sempre torci pela felicidade de quem amo! E eu amo cada um dos meus amigos!

O que ocorre é que às vezes somos simplesmente excluídos da vida daqueles que se diziam nossos amigos quando eram solteiros, por estes alegarem agora  falta de tempo e excssso de ocupação…

Será?

Será que a pessoa que antes passava 2 horas no telefone com você, agora não tem 5 minutos pra deixar um scrap no Orkut perguntando como você está, só porque está atarefada demais com os preparativos do casamento?

Será que a pessoa que antes saía com você, hoje não tem realmente tempo, porque tá trabalhando demais?! Ou será que ela tá te evitando, porque hoje o futuro cônjuge é mais interessante?!

Não tenho nada contra quem se esquece definitivamente dos verdadeiros amigos e tem olhos apenas para o futuro marido/esposa… Gosto não se discute!

Eu, depois que voltei com o Dudu, comecei a perceber quem era de fato amigo e quem não era, pois muitos não nos apoiaram e esses nós percebemos que não eram nossos amigos de verdade… É natural o afastamento!

Mas meus amigos (os poucos) que ficaram, faço questão de, mesmo se não estiver tão próxima como deveria, de manter contato, de saber  notícias, de sair de vez em quando, ou mesmo de mandar um scrap no Orkut ou uma mensagem no celular dizendo o quanto tenho saudades e como são importantes pra mim…

Porém, acho que quem opta por abandonar sumariamente os amigos de verdade, deveria fazer isso com honestidade…

Vocês sabem bem que sempre fui adepta da honestidade e verdade acima de tudo, e acho que se você não quer mais uma verdadeira amizade, deve conversar abertamente que não se sente mais à vontade com aquela pessoa, ou que sua vida não cabe mais os amigos de antes… (O que eu acho uma pena, pois amigos verdadeiros são cada vez mais raros. Mas é melhor que “enrolar” os outros!)

Forte demais pra ser dito?! Sinceramente eu não acho! Acredito que as velhas desculpas doem mais…

Sabe por quê?

Em um universo de 168 horas na semana (minha conta está certa?!) não é possível que a pessoa não tenha 5 minutos pra se lembrar de um grande amigo e dizer um “oi” por telefone… Não é possível…

E outra: Como que aquela pessoa que, em um passe de mágica, se tornou ocupadíssima, teve tempo pra te mandar o convite de casamento por terceiros, ou mesmo pelo correio, e agora “desocupou” e quer sair com você pra te entregar o convite do chá de panela dela?!

Como?

Por quê?

Por que uma amizade que estava “em coma”, esquecida em um passado não tão distante assim, na hora da entrega de um convite é tão considerada, tão lembrada?

Por que optar por mandar o convite de casamento por terceiros ou pelo correio? No universo das 168 horas da semana, não havia 2 horinhas pra ir à casa deste amigo entregar pessoalmente o convite?! Então, pra quê convidar?!

Pra quê brincar com sentimentos de pessoas amigas que sempre torceram e acreditaram na felicidade deste “amigo”? Por que simplesmente não ignorou ou deixou as coisas como estavam?

Por que a repentina saudade na hora da entrega do convite, se antes não tinha nem tempo pra um “Oi”?

Por quê?

Fico me perguntando…

Não vou hoje aconselhar, nem nada disso…  Quero ouvir (ou melhor, ler) o que vocês acham disso.

Quero saber de vocês o que fariam no meu lugar?!

Iriam ao casamento, fingindo que nada aconteceu e correndo o risco de ser ignorada mais uma vez ou simplesmente ignorariam, retribuindo o tratamento recebido durante todos esses meses?

A única coisa que vou dizer é: se você tem alguma chance de se enquadrar nesse caso que contei, fazendo o papel da amiga ocupada, repense suas atitudes…

Não é porque você vai casar, que todo o seu passado deve ser jogado em uma gaveta ou mesmo no lixo, juntamente com aquelas amizades… Aquelas que sempre torceram por você… E até mesmo torceram pra você ser feliz como você hoje está.

Vai vcasar? Agregue… Casamento é pra agregar amigos, famílias… E não pra ir apagando sumariamente suas relações, como quem arranca as páginas de um diário velho…

Não se esqueça dos amigos que sempre te deram a mão e te quiseram bem… Amigos são preciosidades que não devem ser desperdiçadas… E lembre-se o que você está fazendo com um amigo seu hoje, você pode sofrer em uma outra ocasião…

Não lembre dos seus amigos só na hora de fazer volume na igreja ou na mega recepção que você tá preparando às duras penas e em suaves prestações, pra Tia Cleide não comentar: “Nossa, que festa vazia, veio ninguém no casamento dela!”.

Amigos não são figurantes… Ou alguém que você recorre por algum interesse. Amizade necessita de presença, carinho, abraço e reconhecimento…

Não seja egoísta de pensar que as pessoas estarão ao seu dispor quando você bem entender, sem que você ao menos dê a elas um pouquinho de atenção que seja…

Pensem nisso!

Relembrando Mário Quintana, frase essa que sempre está na minha mente, eu termino esse post:  A amizade é um amor que nunca morre.”

E, procurando no Google, encontrei mais umas boas:

“Em vez de amar teus inimigos, trata teus amigos um pouco melhor.” – Ed Howe

“O amigo tem que ser como o dinheiro, que antes de necessitá-lo, sabe-se o valor que têm.” – Sócrates

“A amizade sempre é proveitosa, o amor às vezes é.” – Sêneca

“Só existe uma coisa melhor do que fazer novos amigos: conservar os velhos.” – Elmer G. Letterman

“Nunca é largo o caminho que conduz à casa de um amigo.” – Juvenal

e

“Não tenhas pressa de fazer novos amigos nem em abandonar aqueles que tens.” – Sólon

Bom é isso!

Espero os comentários.

Beijos a todos.

Com carinho,

Naná.

Etiqueta para casamento – Lista de sugestões

11 fev

Olá, lindinhos!

Saudades de vocês!

Não ando escrevendo muito, mas isso vai mudar, prometo!

Hehheheh!

O Photobucket (site onde eu hospedo as imagens) tá travando muito hoje, mas assim que melhorar, eu hospedo os últimos modelos e deixo o link do álbum aqui!

Hoje, vou tratar de uma oooutra birra pra mim: As infelizes listas de sugestões que se disseminam nos convites de casamento, chá de cozinha, chá bar, inclusive em chá de bebê. (Acho que se velório tivesse convite, colocariam lista de sugestões de presente pro defunto!)

Ave Maria! Onde já se viu convidar uma pessoa para um evento e anexar ao convite uma lista de sugestões do que se quer ganhar e onde comprar?!

Pior é quando a pessoa coloca um asterisco sem-vergonha e escreve a “sugestão”, que mais parece, ao meu ver, uma “intimação”! (Este caso é comum em chás de bebê e cozinha).

Quer pedir presente (e o chá ou evento é só um pretexto), manda um bilhetinho assim:

Olá.

Como o orçamento está apertado… Estou sem condições de comprar os seguintes itens abaixo:

(mencione o que você quer ganhar na caruda, pra quê convitinho! Não é pedir presente que você quer?! Vai ficar sem-graça agora? Deveria ficar ao colocar sugestões pros convidados!)

Por isso, peço, por favor, que se tiver condições, colabore com o meu (coloque aqui: casamento, nascimento do bebê, etc.), me presenteando com alguma dessas sugestões.

Favor, enviá-las para o endereço: ____________________________________________________

até o dia ___/___/___.

Desde já obrigada.

Abraços,

(Seu nome)

Achou absurdo?! Pelo menos é mais direto do que “sugerir”!

O fato é: a tal da sugestão de presentes é uma falta de educação!

Até hoje não vi uma alma nesse mundo que colocasse lista de sugestão de presentes de casamento em loja popular ou de preços acessíveis a todos os bolsos!

(Já vi pedirem ralador, que em loja mais popular custa 8,00, mas que na loja da lista custava 40 reais! Ah, e esse era o presente mais baratinho da lista!).

Também não vi ainda livrarem os coitados dos convidados dos 4 pacotes de fralda, protetores de colchão e outros presentes caríssimos (sim, bem caros para o bolso de alguns, certamente também para o de quem pediu, afinal, se precisa pedir, pressupõe-se que não pode comprar, né verdade?!).

A verdade é que noivos, futuras mamães e afins sempre querem levar vantagem nessas listas e sugestões. Sempre as colocam em lugares onde não costumam comprar e “sugerem” os itens mais caros ou de melhor qualidade ou marca (os quais não teriam coragem de pagar pelo preço ou não tem grana mesmo pra comprar).

Há ainda (no caso dos “chás”), a distribuição desordenada de convites para gente que nem tem intimidade com quem convidou (é um tal de distribuir convite na escola, faculdade, emprego dos pais do bebê ou noivos, parentes distantes e vizinhos com os quais nunca se trocou mais do que um “bom dia”).

Tá duvidando?!

Um dia, quando eu ainda fazia faculdade, recebi o convite do chá de bebê de uma garota da minha turma que eu tinha trocado pouquíssimas palavras! E estava lá: “Sugestão: 4 pacotes de fraldas”. Adivinha se eu fui?! Não tínhamos intimidade para tal convite, quiçá para ela me “sugerir” (lê-se:”pedir”) 4 pacotes de fraldas que é algo beeem caro!

Logo, sugerir ao seu convidado que te dê determinado presente de determinada loja é algo que deve ser banido ou no mínimo evitado…

Várias pessoas de diferentes classes sociais e condições financeiras irão ao seu evento (seja ele: casamento ou chá) e muitas se sentirão constrangidas em receber uma sugestão que não poderão comprar ou se sentirão coagidas a comprarem algo fora (na maioria das vezes) do orçamento.

Se você tá louca por aquele jogo de taças da loja tal e que custa 88 reais ou quer muito aquele escorredor de pratos de inox que você achou por 50 reais ou mesmo se acha que é fundamental seu baby ter um protetor de colchão de 45 reais, querida, junta dinheiro e compra! Não conte com a possibilidade de seus convidados despenderem uma grana pra comprarem isso!

Muitos não tem realmente condições, outros são pão-duros mesmo e tem até aqueles que ao verem a sugestão ou a lista das duas uma: ou nem vão e não compram nada ou compram algo bem baratinho!

Claaaaro… Há quem vá comprar algo da sua utópica lista, mas esses, meu bem, certamente já iriam te dar bons presentes e a sugestão foi só um norteador!

Quer pedir presente? Peça a quem você tem intimidade!

Não saia distribuindo convitinhos comprados no supermercado para a vizinha da sua madrinha de fogueira ou ainda para a galera do financeiro, do administrativo, da segurança, do comercial, do RH, da portaria, da diretoria, gente que, quando muito, você dá só um “oi”, porque não pega bem!

Muitos ignorarão! Outros vão solta uma frase que eu tenho certeza que você se ouvisse pessoalmente ODIARIA: “Ah, coitada… Vou comprar alguma coisinha pra ajudá-la…” (Vai me dizer que você nunca disse ou ouviu alguém dizendo isso ao receber um convite com “sugestão” de presente). Parece que a pessoa não vao dar um presente, e sim um donativo!

É, meu bem… Seu orgulho é grande demais para ser “ajudada”? Exclua as sugestões dos seus convites e receba presentes que, dados de coração ou não, caros ou não, úteis ou não, pelo menos não foram frutos da sua coação para ganhá-los. 

Presente é algo espontâneo… Deixe que te deem o que quiserem… E se quiser muito determinada coisa, comprar ainda é a melhor solução! Afinal, ninguém tem culpa se você tá grávida e não tem grana pra comprar fraldas ou se tá gastando tanto no casamento, que mal sobra pra montar a cozinha…

Fica a dica!

Abraços.

Com carinho,

Naná.

(P.S.: As listas que disponibilizo no blog tem o propósito de NORTEAR você nas suas compras, assim como norteiam as minhas… Em momento algum incentivo ninguém a pedir o que está lá! Sou plenamente a favor do: “compre você mesma”).

Etiqueta para casamento: O convite

3 fev

Olá, queridos noivos que adoro tanto!

A série “Etiqueta para casamento” ataca novamente!

Desta vez, falaremos sobre o convite de casamento

Não vou discutir aqui como deve ser o seu convite de casamento (podemos falar nisso em outra ocasião, pois este não é o maior dos problemas) e sim questões de etiqueta sobre como se convidar.

Pode parecer idiota, mas certos cuidados simples passam looonge da cabeça de algumas noivas que, por se julgarem ocupadas demais (lê-se: “preguiça e má vontade”), acabam cometendo algumas gafes imperdoáveis e que se tornam cada vez mais comuns.

Vamos às enumerações?!

1. Entregue SEMPRE o convite pessoalmente e em mãos. Quer coisa mais grosseira que mandar a mãe ou a irmã ir de casa em casa entregar, enviar pelo correio ou até mesmo enviar uma cópia digital por e-mail?! (Sim, Dudu já recebeu um por e-mail em massa e aqui em casa já recebemos vários pelo correio ou mesmo entregues pela mãe da noiva!).

Desde que o mundo é mundo a tradição é essa: a noiva e o noivo vão de casa em casa pessoalmente entregar os convites…

Pergunta pra sua mãe ou pra sua tia Cleide! Elas vão confirmar! Já disse: Casamento é algo tradicional e conservador em que você irá chamar algumas pessoas que apreciam o tradicional e que são conservadoras. Logo, faça um esforço, confeccione os convites com uma antecedência maior, mas não deixe de ir a todas as casas.

Por um acaso é a sua mãe que ta casando? Não, né?!Então entregue você mesma!

Ah, tá sem tempo?! Você gostaria se ninguém comparecesse ao seu casamento e como desculpa reclamasse de falta de tempo?! Isso te magoaria… Então pense que a sua ausência na entrega dos convites também pode magoar o convidado…

Ah, já sei, a pessoa mora em outra cidade?!

Tire um final de semana e vá visitá-la! Ela, teoricamente virá ao seu casamento, não é?!

Então, a distância que ela irá percorrer para sair lá da cidade dela é a mesma que você percorrerá para entregar o convite em mãos.

Você gostaria que ela reclamasse da distância? Pois então… Não reclame e nem faça corpo mole!

Entregue todos os convites pessoalmente e exija que seu noivo faça o mesmo da parte dele.

Não achou a pessoa? Ela não estava em casa ou ninguém atendeu a campainha? Volte outra hora ou ligue perguntando que hora pode ir entregar o seu convite… Nem pense na possibilidade de deixar na caixinha do correio ou com o porteiro! Você foi entregar o seu convite de casamento ou a conta de energia?! Então entregue direito, senão o seu lindo convite vai ter o mesmo tratamento de uma correspondência qualquer, ok?!

Nem pense no (neste caso) maldito e-mail! Já que você quer ser tão tecnológica assim, por que não casa via MSN ou via Skype?!

Achou absurda a minha idéia?! Absurdo é você convidar alguém por e-mail… Cuidado para não receber os parabéns pelo casamento também por e-mail e ao invés do presente, um link pra você clicar na imagem do presente “virtual”…

Ah, mas a empresa que está fazendo seu convite dá esta possibilidade de convite virtual… Muito mal educada a empresa, sabia?! Você gosta de receber cartão de natal virtual? Aqueles em que você sabe que o texto é sempre o mesmo (e está armazenado no bloco de notas) e que a pessoa copiou e colou só mudando o nome e o e-mail? Ninguém gosta… Então, você acha que alguém vai gostar de receber um convite por e-mail?!

2. Ao escrever (ou mandar escrever) o nome do convidado no convite (o famoso “fulano e família”), pelo amor que você tem na sua querida mãezinha: escreva corretamente o nome da pessoa!

O Dudu (meu grande filósofo) sempre diz algo que é certo: você nota o nível de intimidade que uma pessoa tem com você quando ela te envia um convite. E é verdade.

Veja o meu caso: meu pai se chama Luiz (e não Luís ou Luis). São pouquíssimas as pessoas que colocam o nome dele corretamente nos convites o que já mostra um certo descaso da parte de quem enviou e nem se preocupou com a grafia correta.

Vou dar um exemplo, se você se chama, sei lá… Daniella. Você gosta quando alguém te chama de Daniele? (ou escreve seu nome assim?!). E as Elianes que ficam iradas quando viram “Elianas” (e vice-versa) e as que têm “th” no nome e vêem seu “th” sumir? E os sobrenomes?! “Souza” que vira “Sousa”, “Mello” que vira “Melo”, (e vice-versa) e os mais incomuns, de origem européia e árabe que sempre geram enganos, além dos nomes estrangeiros ou daqueles mais exóticos…

Pois é, meu bem… O fato é que ninguém gosta de ter seu nome escrito errado. Isso sempre gera constrangimentos que devem ser evitados. Faça uma pesquisinha sobre o nome de seus convidados e evite “saias justas”.

3. É sempre recomendado que, ao convidar uma família, o convite venha com o nome do pai. (Por exemplo: numa família que tem um pai, uma mãe 2 irmãos, um já casado, se você quer convidar aquele povo todo, em tese colocaria o convite no nome do pai daquela família, certo?!)

Pois é, eu aprendi assim… Ocorre que os tempos são outros então a dica é: sonde a família que você vai convidar! É, meu bem… Pra evitar saia-justa!

Já vi gente colocando nome de pai que já tava separado há séculos e nem participava mais daquela família, já vi gente (da família do pai) mandando convite no nome dele pra EX-família dele (porque não sabiam da separação)… Gafe!

Imagina que chato: você separada, já casada com outro, recebendo um convite de alguém da família do seu ex-marido no nome dele?! Desagradável, não?! Evite isso!

4. Convite individual: seja educada!

Eu tenho uma birra de convite individual que vocês não têm noção!

O casamento da Juliana Paes ter isso, ok… O casamento da filha do prefeito ter isso, ok! O casamento da filha de algum milionário em que terão vários penetras, ok também!

Mas uma pobretona “zé-ninguém” ficar fazendo convitinho individual, desculpa a franqueza, é muuuuito brega!

Ao invés de soar “VIP”, soa “pobreza”, soa: “eu não tive grana pra fazer um festão, então vou restringir o número de convidados”…

Não queira bancar a “VIP” dando 3 convites individuais para uma família que tem 8 que te conhecem e que iriam ao seu casamento, meu bem… Se fizer isso, ao invés de 3, não vai é ninguem!

Se você resolveu gastar grana com festa, BANQUE!

Não fique fazendo economia nos convites individuais porque a sua tia Cleide vai reparar e te chamar de pão-dura!

E darei toda a razão a ela! Sabe por quê? Eu acho o fim da picada gente que regula a quantidade de convites e quando se chega a tal “festa tão VIP” é algo beeeem simples e que nem precisava de tanto controle assim!

Assim sendo, quer fazer os malditos convites individuais? Faça!

Mas considere todas as possíveis pessoas que iriam à festa, incluindo: namorados, noivos, companheiros, damas de companhia, babás, etc. Sim, sim! A festa não é pros seus convidados?! Pois então, eles deve se sentir BEM! E muitos não se sentirão se não puder levar os citados acima e por isso nem irão! Antes a festa mais cheia, do que vazia demais!

Fui a umcasamento em que a infeliz nem considerou sequer o múmero de membros da minha família (deu 4 convites sendo que somos 5, sem contar o Dudu, que aí seriam 6!). Pois é, fomos… Chegamos lá, FESTA VAZIA! Foram basicamente apenas os parentes… Reflexo disso! Certamente!

Bom, acho que procurando seguir isso, muitas gafes serão evitadas!

Beijos,

Com carinho,

Naná.

Etiqueta para casamento: Fotos e filmagens.

30 jan

Olá, noivas!!!

Semana acabando…  E o grande dia está cada vez mais perto! *frio na barriga* (Já parou pra pensar que a cada dia que passa, é um dia a menos de solteira que você tem?!)

Hoje vou tratar de um assunto que é um bronca pessoal minha: Foto e filmagem!

Não há nada pior nesse mundão do que ser forçado a fazer aquilo que não se quer. Pois é, atente-se para isso no seu casamento, pois há um momento nele que pode ser inesquecível e constrangedor: as fotos e filmagens.

Primeiro: ninguém (a não ser que você tenha parentes que sejam artistas, celebridades ou ex-BBBs) fica totalmente à vontade em frente a uma câmera. Ainda mais se esta é manipulada por um desconhecido que chega de repente e exige uma foto. Surreal? Não! Muitas equipes de fotografia e filmagem se portam assim! Eles querem filmar e fotografar, não importa quem, como e de que forma seja a abordagem.

Ao escolher uma equipe, questione esta sobre como é a abordagem dos convidados na hora de fotografar e filmar. Já fui a eventos em que a equipe era luxuosa e o cara da filmagem foi interrompendo meu momento de refeição para me filmar, mesmo com minha manifestação de incômodo e constrangimento quanto à abordagem, dizendo que não queria aparecer. Fora as fotos, que muitos tiram, mesmo que você diga que não quer tirar foto, ou até mesmo te obrigam a fazer poses “espontaneamente forjadas” e que só provocam constrangimento… Resultado: álbum e dvd prontos, sempre tem alguém que reclama do jeito que apareceu…

Por isso, recomende a equipe de que deixe os convidados à vontade, respeitando o desejo de quem não queira, por ventura, aparecer na filmagem ou na foto. Assim você terá recordações em foto e vídeo muito mais espontâneas e agradáveis do que se fossem forçadas ou coagidas.

É isso, pessoal!

Beijos,

Com carinho,

Naná.

Etiqueta para casamento: Entrar na igreja com quem?!

29 jan

Olá, noivinhas!!!! Tão gostando da série?!

Comentem!

Hoje, vamos falar de família…

Pra descontrair um pouco, veja esta imagem:

"Familia, familia...")
Em apenas uma imagem podemos encontrae váááárias coisas típicas de acontecer em casamento (lê-se: “gafes”!). (Como dizia os Titãs: “Família, família…”)

Sejamos honestas: a vida de ninguém é uma propaganda de margarina… Todo mundo tem algum problema familiar ou uma questão mal resolvida (ainda que muitos tentem negá-las ou escondê-las) e que podem vir à tona no tão esperado dia…

Pode ser aquele irmão que não fala com você há anos, a nova esposa do seu pai que você detesta, o namorado da sua mãe que não vai com a sua cara, a sua sogra que não te suporta (e você não a suporta) ou mesmo algo envolvendo o seu pai.

1. Vamos primeiro tratar da questão: pai falecido. Não é porque seu pai já é falecido que você tenha a obrigação de entrar na igreja com alguém. Se você acha que só ele poderia ocupar esse lugar ao seu lado, respeite a sua vontade. Todos entenderão, eu garanto.

2. Pai separado e que você não via há anos, ou que tem pouco contato, pouca intimidade. Você se sentirá bem entrando na igreja com alguém que não participou em momento algum da sua vida só para cumprir uma exigência social? Se sim, vá em frente, o casamento é seu.

Mas se você não se sentir, não force a barra. Se você não tem tanto contato, certamente todos sabem disso e não irão reparar se você preferir entrar sozinha. Ele mesmo reconhecerá que não é a pessoa mais adequada para te acompanhar até o altar, sendo que ele não te acompanhou em momento nenhum da vida.

Por outro lado, essa pode ser uma oportunidade para vocês se reaproximarem e se você achar que nessa altura da vida ainda vale a pena tentar construir uma relação melhor e mais próxima com o seu pai, vá em frente. (Eu acho que nunca é tarde para dizer “eu te amo”, pense nisso!).

3. Pai separado e que você não tem contato e padrasto que você trata como pai. Essa situação é muito delicada e cada caso é um caso.  Recomendo que você siga seu coração. Não sei como é a relação com ambos e creio que uma boa conversa em família seja a melhor opção para não machucar ninguém nem provocar mal entendido.

4. Pai que você adora e tem ótima relação. Entra com ele, ora! Mas se preferir entrar sozinha por algum motivo (por exemplo: você vai cantar ou seu amado vai cantar pra você) e sabe que ele não ficará (de verdade) chateado o que te impede? Mas tudo deve ser conversado com o seu pai antes!

Mas se você está enquadrada no segundo (ou até no) quarto caso e seu pai estiver presente, não chame outra pessoa para entrar na igreja com você. Mesmo que seja o seu avô ou aquele tio que foi essencial na sua criação e que foi como um pai para você, se não for para entrar com o seu pai biológico, não entre com ninguém. Pode parecer uma afronta e o dia do seu casamento não é a hora mais propícia para “lavar roupa suja”!

Muito jogo de cintura e muita serenidade nessa hora. Afinal problemas familiares sempre existirão, mesmo quando você formar a sua própria família. Já é bom você ir treinando nas pequenas coisas!

Beijos a todas as noivas!

Com carinho,

Naná.