Tag Archives: noivinhos

Quer lembrancinhas em Biscuit?

27 fev

 

Olá, pessoal!

Conheça a Linda Maria – Arte em Biscuit!

Fazemos os mais diversos trabalhos em biscuit, com um preço justo e entrega cheia de carinho! *_*

Curta nossa fan page: https://www.facebook.com/lindamariabiscuit?ref=hlLinda Maria Store

Espero todos lá!

Anúncios

Bye, bye… Oops! Surpresa!

21 jul

Olá, pessoal!

Bem que tentei voltar pra cá, mas tanta coisa mudou que resolvi migrar pra outro blog!

O endereço é: http://avidasegundonana.blogspot.com/

Espero vocês lá!

Com carinho,

Naná.

Mês dos namorados – histórias de amor

14 jun

Oi, gente!!!!!!!

 

Lembram daquela promoção que eu lancei?!

Pois é… Mês dos namorados… Achei por bem começar a publicar as histórias hoje!

A primeira delas é a da Mariana Lira. Uma fofa que sempre nos segue e que tem uma linda história de amor pra nos contar…

Provando que o amor pode estar nos esperando até em um show de forró!

(Quem ainda não teve a história publicada, não se desespere! Vou publicar TODAS!)

Quem ainda não enviou… Ainda dá tempo!

Veja:

 

No mês de junho (falta pouquinho!!!!) Raphael e eu completaremos 4 anos de namoro. Estamos nos organizando pra casar daqui a 2 anos, em 2011, tempo que consideramos suficiente pra juntar uma grana e estabilizar nossas vidas profissional e financeira.
 
O nosso encontro foi peculiar. Nos conhecemos em um show de forró! Pra quem nunca foi, um show de forró é uma massa amorfa de gente se empurrando de lá pra cá, tentando dançar e suando aos bicos rsrsrs. Raphael não gosta de forró. Não era para ele estar ali. E eu, apesar de até simpatizar com o estilo, fui somente pra acompanhar uma amiga. Eu estava solteira fazia mais ou menos 1 ano e, desde então, não frequentava esse tipo de balada. Entretanto, quem tá na chuva tem que se molhar, né não? Assim, pra não irmos sozinhas, ligamos pra todos os amigos possíveis e imagináveis que, delicadamente, negaram nossos convites. O único que aceitou (pra minha desgraça) foi um artista muito doido, cheio de dreds e idéias viajadas na abeça, que viajou na maionese achando que eu o havia convidado por interesses outros.
 
Resultado: depois de tentar convencê-lo de que ele não era meu príncipe encantado (o que não funcionou) tive de ceder às idéias mirabolantes da minha colega, a qual sugeriu que sumíssemos da vista da figura. Metade do show foi embora junto com as nossas tentativas de evitar um reencontro com o carinha. Mas pelo menos funcionou rsrsr.
 
Como era 04 de junho e, por isso mesmo, próximo ao dia dos namorados, o show estava repleto de casais. Como se não bastasse, a banda principal (Limão com Mel) estava lançando seu novo CD, uma coletânea de músicas românticas, pra se ouvir/dançar bem agarradinho, de rostinho colado. Olhei para um lado, para o outro, para a frente e a verdade é que me senti uma ilha cercada de casais por todos os lados. Quando me dei conta da situação, percebi que havia mesmo perdido a noite. Minha saída foi encostar-me na pilastra e esperar pelo amanhecer (por que, como boa lisa, tinha ido de ônibus né rsrsrrs). Minha amiga estava de pé, quase dormindo, igualmente entediada e provavelmente se perguntando o que estava fazendo ali.
 
Comecei a pensar no absurdo da nossa idéia. Que história mais louca essa de aventurar-se sozinha na noite recifense, sem nem uma costelinha pra esquentar e – o pior -, em um show de forró romântico!!! Comecei a conversar com Deus (juro, juro, juro que é verdade!!). Expliquei a Ele que minhas intenções eram boas e que a saída foi planejada para espairecer, relaxar e sem interesses escusos. E pedi: “por favor, meu Deus, não quero nada especial, não. Quero só alguém pra dançar, pra não perder a noite, só isso!!”. De repente, não mais que de repente, eu me deparo com Raphael, à minha frente, me chamando para dançar. Durante a dança, descobrimos semelhanças até na profissão: ele publicitário, eu jornalista, dois comunicadores solitários, perdidos numa noite fria. As semelhanças foram sentidas também no primeiro beijo…. ai ai rsrsr.
 
A história começou a ficar esquisita quando chegou a hora da despedido. Ao invés do telefone, ele me pediu o msn com a desculpa de que era horrível em decorar números. Fiquei desconfiada, mas dei o endereço de e-mail crente de que havia sido enrolada mais uma vez. Nos despedimos e eu fui pra casa, certa de que tinha sido apenas mais uma noite banal na minha vida.
 
Entretanto, mesmo que não quisesse assumir, aquele encontro tinha tido um gosto diferente, mais especial. E pensar que ele não havia passado de um encontro furtivo me deixava triste. Assim, no dia seguinte, quando meu pai me perguntou como havia sido o show, eu caí no berreiro. Isso. chorei mesmo! Um choro sentido, desses que só são chorados por alguém que perdeu algo muito importante. Estranhando, meu pai perguntou o que tinha acontecido e eu expliquei a história toda, inclusive a parte do msn. E meu pai falou, com a sapiência de quem já viveu muito – “também, você queria mesmo arranjar namorado em show de forró?!?”. Sem comentários, né…. rsrsr
 
Segunda-feira, no trabalho, apenas por curiosidade, entrei no msn e vi um convitezinho de um Rafael dançando na tela. Pense numa alegria! Ele tinha lembrado mesmo! Adicionei  o carinha e já fui toda feliz dar bom dia. E num é que era outro Rafael?! fiquei com tanta raivva por causa do funesto acaso que mandei o cara se lascar, excluí e bloqueei ele. Acho que até o hoje o coitado se pergunta o que fez de errado. E fui trabalhar, fazer minhas fotos e amargar a certeza de que eu havia sido besta mesmo. Quando voltei, apenas por desencargo de consciência, entrei no msn novamente. E lá estava o tão esperado convite, desta vez do meu Raphael, assim, bem chique, com PH.
 
Conversamos, trocamos telefone e marcamos o almoço para aquele mesmo dia. O primeiro encontro depois do show, o primeiro beijo e a certeza crescente de que tinha início, ali, uma história muito especial. Durante aquela semana, nos encontramos todos os dias, até o dia 08, quando marcamos de ver o show de Chico Cézar.
 
Quase na hora do show, descobri que meus pais também estariam ali e fiquei bastante apreensiva, com a idéia de que ele poderia achar que eu estava forçando a barra para alguma coisa. Mas até nisso ele me surpreendeu. Mesmo sem dizermos um ao outro que o namoro era oficial, ele peitou a situação constrangedora de, na primeira semana, já conhecer os pais da moça. E assim, durante o show, conversa vai conversa vem, eu perguntei, pra dirrimir toda e qualquer dúvida, qual era a da gente. Até hoje eu lembro da doçura daquele olhar. Estava tocando “É só pensar em você que muda o dia, minha alegria dá pra ver…” e ele disse – “pra mim, nós estamos namorando desde a segunda-feira, desde o nosso primeiro encontro. Por que, quando eu te reencontrei naquele dia, naquele almoço, eu sabia que não era algo assim, tão simples. Minha vida estava mudando”.
Estamos juntos até hoje e cada dia eu o amo mais e mais e sei que, sim, a recíproca é muito verdadeira!.
 
Assinado; Mariana Lira

Etiqueta para casamento: Casou? Não deixe por isso de preservar as amizades!

8 jun

Oi, galera!!!

Ia até postar mais vestidos cafonas coloridos… (Juro! Os que eu ia postar hoje eram ALTAMENTE cafonas!!!).

Mas resolvi desabafar…

Isso mesmo, reportando ao D2 que reporta à Cláudia, “Deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar…”

Não acho ético dar nomes (a não ser o da Tia Cleide!), nem é minha intenção aqui…

Só quero mesmo desabafar com vocês coisas que estou sentindo acerca de relações que tenho com pessoas que se diziam “amigas”. Uma pessoa em especial.

E como tenho tantas pessoas que me apoiam e dão bons conselhos (sim, vocês, leitores),  e creio que a situação que vou relatar deve ser comum a outras pessoas, acho que aqui é um bom lugar para discutirmos a seguinte questão: Afinal, casamento significa “ignorar os antigos amigos”?

Ando me sentindo ignorada…

Ok, quando a gente fica com um compromisso mais sério, gente demais atrapalha mesmo… Afinal, muitos dos “amigos” (e “amigas”) nossos querem apenas ver (e torcer) pro fim do relacionamento… Rola, muitas das vezes, aquela sensação de posse, de pertencimento… E não aceitam mesmo, de maneira alguma, que aquela pessoa namore. Quem sofre é o namorado/namorada que fica no papel de “usurpador(a)” daquela(e) amiga(o).

Mas a questão que quero me focar nem é essa. Não estamos cercados apenas de pessoas egoístas, que querem nosso mal ou que nos invejam… E eu faço parte desse grupo! Sempre torci pela felicidade de quem amo! E eu amo cada um dos meus amigos!

O que ocorre é que às vezes somos simplesmente excluídos da vida daqueles que se diziam nossos amigos quando eram solteiros, por estes alegarem agora  falta de tempo e excssso de ocupação…

Será?

Será que a pessoa que antes passava 2 horas no telefone com você, agora não tem 5 minutos pra deixar um scrap no Orkut perguntando como você está, só porque está atarefada demais com os preparativos do casamento?

Será que a pessoa que antes saía com você, hoje não tem realmente tempo, porque tá trabalhando demais?! Ou será que ela tá te evitando, porque hoje o futuro cônjuge é mais interessante?!

Não tenho nada contra quem se esquece definitivamente dos verdadeiros amigos e tem olhos apenas para o futuro marido/esposa… Gosto não se discute!

Eu, depois que voltei com o Dudu, comecei a perceber quem era de fato amigo e quem não era, pois muitos não nos apoiaram e esses nós percebemos que não eram nossos amigos de verdade… É natural o afastamento!

Mas meus amigos (os poucos) que ficaram, faço questão de, mesmo se não estiver tão próxima como deveria, de manter contato, de saber  notícias, de sair de vez em quando, ou mesmo de mandar um scrap no Orkut ou uma mensagem no celular dizendo o quanto tenho saudades e como são importantes pra mim…

Porém, acho que quem opta por abandonar sumariamente os amigos de verdade, deveria fazer isso com honestidade…

Vocês sabem bem que sempre fui adepta da honestidade e verdade acima de tudo, e acho que se você não quer mais uma verdadeira amizade, deve conversar abertamente que não se sente mais à vontade com aquela pessoa, ou que sua vida não cabe mais os amigos de antes… (O que eu acho uma pena, pois amigos verdadeiros são cada vez mais raros. Mas é melhor que “enrolar” os outros!)

Forte demais pra ser dito?! Sinceramente eu não acho! Acredito que as velhas desculpas doem mais…

Sabe por quê?

Em um universo de 168 horas na semana (minha conta está certa?!) não é possível que a pessoa não tenha 5 minutos pra se lembrar de um grande amigo e dizer um “oi” por telefone… Não é possível…

E outra: Como que aquela pessoa que, em um passe de mágica, se tornou ocupadíssima, teve tempo pra te mandar o convite de casamento por terceiros, ou mesmo pelo correio, e agora “desocupou” e quer sair com você pra te entregar o convite do chá de panela dela?!

Como?

Por quê?

Por que uma amizade que estava “em coma”, esquecida em um passado não tão distante assim, na hora da entrega de um convite é tão considerada, tão lembrada?

Por que optar por mandar o convite de casamento por terceiros ou pelo correio? No universo das 168 horas da semana, não havia 2 horinhas pra ir à casa deste amigo entregar pessoalmente o convite?! Então, pra quê convidar?!

Pra quê brincar com sentimentos de pessoas amigas que sempre torceram e acreditaram na felicidade deste “amigo”? Por que simplesmente não ignorou ou deixou as coisas como estavam?

Por que a repentina saudade na hora da entrega do convite, se antes não tinha nem tempo pra um “Oi”?

Por quê?

Fico me perguntando…

Não vou hoje aconselhar, nem nada disso…  Quero ouvir (ou melhor, ler) o que vocês acham disso.

Quero saber de vocês o que fariam no meu lugar?!

Iriam ao casamento, fingindo que nada aconteceu e correndo o risco de ser ignorada mais uma vez ou simplesmente ignorariam, retribuindo o tratamento recebido durante todos esses meses?

A única coisa que vou dizer é: se você tem alguma chance de se enquadrar nesse caso que contei, fazendo o papel da amiga ocupada, repense suas atitudes…

Não é porque você vai casar, que todo o seu passado deve ser jogado em uma gaveta ou mesmo no lixo, juntamente com aquelas amizades… Aquelas que sempre torceram por você… E até mesmo torceram pra você ser feliz como você hoje está.

Vai vcasar? Agregue… Casamento é pra agregar amigos, famílias… E não pra ir apagando sumariamente suas relações, como quem arranca as páginas de um diário velho…

Não se esqueça dos amigos que sempre te deram a mão e te quiseram bem… Amigos são preciosidades que não devem ser desperdiçadas… E lembre-se o que você está fazendo com um amigo seu hoje, você pode sofrer em uma outra ocasião…

Não lembre dos seus amigos só na hora de fazer volume na igreja ou na mega recepção que você tá preparando às duras penas e em suaves prestações, pra Tia Cleide não comentar: “Nossa, que festa vazia, veio ninguém no casamento dela!”.

Amigos não são figurantes… Ou alguém que você recorre por algum interesse. Amizade necessita de presença, carinho, abraço e reconhecimento…

Não seja egoísta de pensar que as pessoas estarão ao seu dispor quando você bem entender, sem que você ao menos dê a elas um pouquinho de atenção que seja…

Pensem nisso!

Relembrando Mário Quintana, frase essa que sempre está na minha mente, eu termino esse post:  A amizade é um amor que nunca morre.”

E, procurando no Google, encontrei mais umas boas:

“Em vez de amar teus inimigos, trata teus amigos um pouco melhor.” – Ed Howe

“O amigo tem que ser como o dinheiro, que antes de necessitá-lo, sabe-se o valor que têm.” – Sócrates

“A amizade sempre é proveitosa, o amor às vezes é.” – Sêneca

“Só existe uma coisa melhor do que fazer novos amigos: conservar os velhos.” – Elmer G. Letterman

“Nunca é largo o caminho que conduz à casa de um amigo.” – Juvenal

e

“Não tenhas pressa de fazer novos amigos nem em abandonar aqueles que tens.” – Sólon

Bom é isso!

Espero os comentários.

Beijos a todos.

Com carinho,

Naná.

Fashion Noivas – Videos dos desfiles do último dia

21 maio

Oi, gente!

Caraca! Pico de 730 acessos! Quando Dudu me contou isso, parei até de redigir minha petição pro Comitê de Ética pra vir ver!

Muito obrigada por tudo!!!

Olha só. Eu fiz alguns videozinhos dos desfiles do Fashion Noivas. Na verdade, mais do último que mostra buquês, pois chegamos meio atrasados para os de vestidos, pegamos só o finalzinho.

Logo, os links estão aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=w-03RG0aV2k&feature=channel_page

http://www.youtube.com/watch?v=umR9oeRJ5qI&feature=channel_page

http://www.youtube.com/watch?v=KTUonLBjp5M&feature=channel_page

http://www.youtube.com/watch?v=9Rnvg0HOHME&feature=channel_page

http://www.youtube.com/watch?v=xlgVyR4mQf0&feature=channel_page

http://www.youtube.com/watch?v=8mD0oxf6AXU&feature=channel_page

Apesar dos títulos, cada um é uma parte do desfile.

 

Ainda tenho mais 3 no pc, depois posto lá. Ontem foi um verdadeiro parto pra postar esses! Quem queria dicas de buquês,  neles dá pra ver alguns. Quem não tiver querendo ver buquês, pelo menos tem uns caras sarados e com pouca roupa!

(Desculpa, Dudu, preciso de um marketing realista e apelativo!)

Bom, é isso!

Preciso voltar aos meus escritos. (Até terça estarei meio atolada de coisas. Tenho um ensaio pra produzir que tá me tirando o sono).

 

Beijos a todos!

Com carinho,

 

Naná.

Promoção – “Nossa história vale um post!”

20 mar

Oi, meu povo!

Ando realmente numa maré de coisas chatas acontecendo, mas rezei pra São José ontem e ele há de me ajudar! heheheh!

Bom, como eu AMO ler tudo que vocês escrevem pra nós, sempre fico na expectativa de ter comentários e e-mails novos!

Uns inclusive me inspiram a fazer posts e um em especial me deu uma idéia:

Ana e Rogério, ameeeei o poste de vocês!!!!! Saber que nosso blog motivou vocês é simplesmente MARA!

Ana e Rogério, ameeeei o poste de vocês!!!!! Saber que nosso blog motivou vocês é simplesmente MARA!

Declaro aberta a promoção: “Nossa história vale um post!”
Já que vocês contam tantas coisas fofas pra gente, envie pra nós somente para o e-mail: duduenana@gmail.com (não vai valer quem mandar pro comentário) a sua história de amor (verdadeira, por favor!) com seu amado(a).

Ela é linda?! Surpreendente?! Engraçada?! Comovente?! (Oh, rimou!heheh)
Ela vale ser publicada em um post inteirinho para ela?!
Então envie para nós um e-mail contando detalhadamente toda a história de amor de vocês que culminou em noivado, casamento ou mesmo “ajuntamento”! (Rimou de novo!)

Mas, ATENÇÃO!!!!!
Algumas regrinhas sempre cabem nessas horas, né?!
Vamos a elas?!
Leia, são importantíssimas!
  • O período de envio das histórias é de hoje (20/03) até 21/04, improrrogáveis. Ainda não sei quando sairá o resultado, pois tenho uma vida acadêmica bem atribulada pra resolver…heheheheh
  • Lembrando que a comissão julgadora sou eu e meu noivo/marido/amor da minha vida Dudu.
  • Envie a história no próprio corpo do e-mail, nada de anexos, pois não abriremos, ok?!
  • Não há número máximo de linhas… Se o amor não tem limites, quem sou eu pra determinar quantidade de linhas para a história de vocês, hein?!
  • Serão aceitas as histórias de amor em que o casal  atualmente está:

-noivo,

-casado,
-mora junto ou está se preparando para morar (Afinal, já diziam os mais velhos: “Amigado com fé, casado é!”).
  • Só namoro não vai valer não… Até porque nosso blog é sobre casamentos…
  • Ah! Não temos nenhum preconceito sexual. Você que é homossexual e tem uma bonita história de amor que culminou no “juntar escovas de dentes” com seu companheiro(a), envie-nos pois será lida com muito carinho e participará da seleção. Aqui a gente preza o amor e amor não tem nada a ver com preconceito!
  • Queremos histórias DE AMOR! Não me venha com sacanagem, pornografia, palavrões, histórias de mulher que tomou marido da outra (e vice-versa), história de amante, relatos de qualquer prática ilegal ou imoral que seja que NÓS NÃO LEREMOS!!! ONDE FOR DETECTADO O RELATO PARAREMOS DE LER E O E-MAIL SERÁ EXCLUÍDO, NÃO PARTICIPANDO DA SELEÇÃO.
  • Queremos histórias em que o casal ESTEJA JUNTO ATUALMENTE! Não me venha com história de passado, de casamento ou noivado que acabou nem com esses papos de “volta pra mim” que não será nem lido até o final… Manda pro programa da Márcia, porque aqui não é lugar disso, ok?!
  • Ao enviar o e-mail, envie-nos de um endereço que VOCÊS COSTUMEM ABRIR, pois poderemos enviar alguma pergunta ou mesmo comentário e se não obtivermos resposta, a história de vocês será desclassificada. Pode nos dar o e-mail passoal sem problemas! Ele se manterá em sigilo e não faremos dele um alvo de spam, fique tranquilo!
  • Ainda sobre o e-mail, envie como título: Promoção – História de ________ e ________. Ah, dê um título a sua história! Se ela for a escolhida, será o título do post.
  • Quanto à premiação… Então, nossa intenção não é premiar, até porque não contamos com nenhum tipo de patrocínio, logo…
  • As 5 melhores histórias de amor serão publicadas INTEGRALMENTE no blog em um post só pra ela.
Por enquanto a premiação será essa. De todo jeito as 5 melhores serão publicadas aqui no blog. UMA EM CADA POST.
  • Dependendo das histórias que nós lermos, veremos se aumentará o número de histórias contempladas e se haverá outra premiação, porém, NÃO CONTEM COM ISSO! QUEM FOR SE ESCREVER, CONTE SÓ COM A POSSIBILIDADE DA PUBLICAÇÃO DO POST NO BLOG.
  • Ou seja, quem for mandar, fique ciente de que a história poderá ser publicada no blog, pois essa é a premiação para as melhores histórias. Não quer ter a sua história publicada, então nem envie!
  • Para os autores das histórias escolhidas, nós avisaremos por e-mail. Se o e-mail que enviamos não for repondido em 3 dias contando do dia que foi enviado, a história será desclassificada!

  • Sobre a vontade de publicação de possíveis fotos no post, não se preocupe em enviar no e-mail. Se a sua história for selecionada, entraremos em contato e você poderá decidir se enviará alguma tipo de imagem ou não.
  • O post será integralmente publicado. Entretanto, qualquer errinho de ortografia ou mesmo de digitação pode vir a ser corrigido por mim.
  • Sobre isso ainda, se eu e o Dudu lermos a história e ambos não entenderem (Lê-se: “história mal redigida, ‘sem pé nem cabeça!’ “), ela será desclassificada.
  • Qualquer alteração será avisada aqui no blog.
  • Dúvidas, envie-nos por comentário, porque aí todo mundo vê e fica mais fácil de responder.
Eu e Dudu estamos à espera das histórias.
Beijos a todos,
Com carinho,
Naná.

Etiqueta para casamento: Daminhas e Noivinhos

28 jan

Olá, queridinhas!

Essa semana está meio corrida, pois tenho que escrever um artigo pro mestrado e a coisa tá feia! Torçam por mim!

Vamos a mais regrinhas de etiqueta?!

Mais “anos 80” do que se valer do recurso da “daminha” e do “noivinho”, só se você usar manga bufante e luvas cobrindo quase todo o braço!

Algo parecido com isso...

Algo parecido com isso...

Ou com isso! Quer mais anos 80?! Pobres crianças! Achei no "gugol" a imagem com o rosto da noiva já apagado, mas fiquei com dó das pequenas infantes e apaguei a delas também...

Ou com isso! Quer mais anos 80?! Pobres crianças! Achei no "gugol" a imagem com o rosto da noiva já apagado, mas fiquei com dó das pequenas infantes e apaguei a delas também...

Tudo bem que você ache bonitinha a idéia de vestir a sua priminha Lorrainny de 4 anos e seu priminho Matheus (com “th”) de 6 como 2 anões (é, porque, vamos combinar, que os trajes dos noivinhos nunca são apropriados para crianças tão pequenas!).

Mas pense: será que aquela pobre e indefesa criança está afim de ser seu noivinho? Quem vai ficar feliz com isso é só a mãe deles que vai tirar bastante fotos e vai forçar os moleques a dizerem que querem ser noivinhos, caso você vá perguntar pra eles…

Todo mundo já ouviu de alguém mais velho (e detestou) frases como: “fala que ‘sim’, pra tia, minha filha”, “agradece a sua vó, meu filho”, “fala ‘obrigado’”, “pede ‘bença’ pra madrinha” e por aí vai… Você certamente respondeu o que os mais velhos pediram, senão era repreendido em público e ouvia: “sabe como é criança, né?!”.

Você gostava de ser tratado assim? Não? Então, não force uma criança a ser noivinho. Você ta cansada de saber que, tirando a Maísa

(que eu tenho certeza que tem uns 25 anos!)

(que eu tenho certeza que tem uns 25 anos!)

crianças de 4, 5, 6 anos não têm maturidade pra resolver nada sozinhas e farão algo que, de repente optariam por não fazer, se já fossem capazes e com consciência de decidirem sozinhas.

Além disso, crianças na hora “H” podem: chorar, dar birra, não quererem entrar, tropeçar com as alianças caríssimas que seu noivo está pagando em suaves prestações, poderão ainda coçar o bumbum sem descrição, conversar, gritar, sair correndo, atrapalhar a cerimônia ou fazer qualquer outra coisa que criança faz espontaneamente e que adulto não aprova. Você quer correr o risco?! Eu não correria.

Fora que tem aquele outro caso: se a criança fizer tudo direitinho, parecendo um mini-adulto tooodo mundo vai ficar olhando pra criança e nem vai reparar em você! Eu já fui a casamentos assim. A noiva entrou e todo mundo ficou dizendo: “ai que gracinha a daminha”. Não se esqueça, meu bem: quem tem que brilhar é você! E você está pagando muita grana por isso!

Fica a dica!

Abraços,

Com carinho,

Naná.